samir3-01

Apesar de um assunto novo para a grande maioria, a prática do Growth Hacking vem sendo amplamente discutida e realizada no Vale do Silício.
Na Gema, abordamos o tema como uma das ferramentas de Marketing e incentivamos os empreendedores a aplicarem as técnicas em suas startups. Mas afinal, o que significa Growth Hacking?

Muitas vezes associado a algo ilegal, o termo “hacker” nem sempre é bem compreendido. Os hackers, no significado mais amplo da palavra, devem ser vistos como pessoas habilidosas e criativas que contornam barreiras e podem assim chegar a resultados extraordinários. No caso de “Growth Hacking” o conceito é similar e envolve a utilização de técnicas para aumentar rapidamente as vendas ou crescer o número de usuários de um produto ou serviço, a baixíssimo custo.

É visto portanto, ​ como o marketing direcionado para as startups, ou lean marketing, ​afinal o conceito está em perfeita sintonia com a metodologia da Startup Enxuta. Em um mundo cada vez mais competitivo e conectado, é sempre bom lembrar a importância de promover sua marca no meio digital e buscar alternativas para se destacar.

Reunimos aqui alguns hacks interessantes que vieram de apresentações de Samir Patel (CEO da DoRevolution e mentor da 500Startups) e Mattan Griffel (Growth Hacker e fundador da OneMonth).

1 – Meça a satisfação dos seus clientes

Existe uma perguntinha básica para isso: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você indicaria nossa empresa para um amigo?”.

Com o resultado dessa pergunta você calcula o NPS – Net Promoter Score que é uma métrica importante, tanto para você descobrir o nível de satisfação dos seus clientes, como quais clientes podem te ajudar ainda mais a divulgar a sua empresa. O cálculo do NPS é o número de NPS = Percentual de promotores – Percentual de Detratores

Promotores são os que responderam 9 ou 10
Detratores é quem respondeu de 6 para baixo.

NPS-en

Duas ferramentas que o Mattan sugere para fazer pesquisas de comportamento dentro do seu site são o Qualaroo e o Promoter.io que é mais focado em NPS. Você também pode criar o seu próprio, ou enviar Google Forms para seus clientes, não importa como, você precisa dessa informação.

E peça para os PROMOTORES compartilharem!

2- Crie mais Landing Pages

Um erro muito comum, principalmente por empresários que não tem o foco na Web é criar anúncios digitais (Facebook, Google, etc.) e apontar para a página principal do seu site. O cliente procurou por “Comprar Guitarra”, viu o anúncio da sua loja de instrumentos e a Landing Page dele é a sua Home Page com 30 produtos? É numa dessas que você perde o dinheiro dos anúncios e acaba achando que Search Engine Marketing não funciona.

Landing Page é a página que o usuário ‘cai’ (aterrissa) assim que entra no seu site. Quanto mais Landing Pages você criar, ou seja, quanto mais páginas específicas pra entrada no seu site você tiver, maiores são suas chances de conversão. Se você está rodando uma campanha com 10 anúncios no Facebook, de chamadas diferentes para públicos diferentes e com abordagens diferentes é conveniente ter 10 Landing Pages diferentes. Você tem que aproveitar as informações relevantes que você tem sobre aquele usuário, aquelas que você usou no filtro pro seu anúncio para ter uma página com conversão bastante eficiente. Se você pretende ou já criou uma Landing Page, tenha  em mente os seguintes pontos:

– Use ofertas diferentes

– A página de destino é digerível em menos de 5 segundos?

– Fazer da Landing Page um funil, que aproxima o usuário da intenção de compra

– Link suas propagandas pagas direto para Landing Pages específicas, não sua Home Page

– O preço é altamente visível, assim como descontos e ofertas promocionais?

3- Prepare sua URL para fazer Link Tracking

Você pode preparar seus links para saber onde seus esforços de divulgação foram melhor empenhados. Uma dica é usar o Link Builder do Google e se você não estiver com tanta paciência assim, use um encurtador de URL’s como o Bit.ly. O importante é que você saiba isso pra saber onde vale ou não se esforçar para divulgar.

4 – Remova os Links da sua Landing Page

Se o seu usuário já caiu em uma página específica, já foi filtrado pela sua campanha, não tem porque ele se dispersar agora, então quanto menos links e opções você der pra ele, melhor será pra você!

Há vários exemplos nos quais as taxas de conversão foram muito maiores apenas por remover barra de navegação e links do menu. Foque no seu Call to Action!

Uma dica é Testar Landing Pages Minimalistas. Tire tudo da sua página, deixe só aquilo que é estritamente necessário, principalmente na hora do Checkout. Um bom exemplo é a Amazon que possui links por toda parte, mas na página de checkout foca só no botão de pagamento.

5 – Peça Feedback para seus clientes

O objetivo aqui é fazer você conseguir mais informações sobre como os clientes navegam pelo seu site e pelos seus produtos, do que eles sentem falta, o que estão procurando, porque deixaram de fazer alguma compra, etc.

– Você achou a informação que procurava?

– Se você não fechou uma compra hoje, quais foram os motivos?

– Que tipo de informação você está procurando?

– O que você veio fazer no site hoje?

AMERICANAS

Simples perguntas que podem ajudar a extrair insights ou buscar uma experiência satisfatória para o cliente na hora da busca ou compra em seu site.

6 – Compre dados demográficos sobre seus usuários

Essa aqui é muito interessante para quem tem clientes nos Estados Unidos. A dica é usar o TowerData que é um site que tem muita informação demográfica e você poder saber mais sobre seus clientes apenas informando o e-mail deles.

No Brasil a coisa fica meio complicada, mas pode usar a imaginação. Por exemplo, se você tem o endereço dos seus clientes, pode tentar inferir a renda deles pela renda média da região. A startup brasileira G3nesis trabalha com análise de comportamento do consumidor na web e a partir destes resultados traz diversas informações como por exemplo, quais são seus interesses, hábitos de consumo.  São funcionalidades que tornam mais assertiva a comunicação com o seu público!

7 – Divida as suas Perguntas

Se você perguntar demais logo de cara, vai acabar perdendo potenciais usuários. Essa é uma dica bem antiga e até um pouco óbvia porque boa parte das pessoas odeiam fazer cadastros gigantescos, perdem o interesse na hora. Mas tem gente que adora pedir informações demais e que nunca serão usadas. Seja conciso e objetivo, se tiver que pedir demais, divida o formulário.

Quantas pessoas não fecham a página por ver um formulário como esse?

ppositivo

8 – Utilize Exit Intent Pop-ups

Esses popups verificam se o usuário demonstra ter uma intenção de saída do site e mostra uma chamada. Não é a mesma coisa daqueles avisos chatos de “Você tem certeza que quer sair?”.

Implemente algum desses algoritmos para segurar a atenção do usuário que quer abandonar sua página e você pode diminuir o Bounce Rate do seu site.

As opções que o Mattan mostra são:

O Mercado Livre usa esse hack para o vendedor não desistir do anúncio e o blog Vida de Startup também:

vida-1024x640

9- Up-sell, Cross-sell e Down-sell

Up-sell, Cross-sell e Down-sell são técnicas de vendas. O Cross-sell provavelmente é o mais conhecido. Se o cliente está comprando uma guitarra é provável que ele também queira comprar correia, encordoamento, amplificador, cabo, palheta, etc. Você pode oferecer esses produtos para ele durante a compra.

Up-sell é quando você oferece um produto de valor maior ao cliente, o exemplo clássico é do McDonalds: Quando você pede a batata eles te oferecem a grande, quando pede o refrigerante, te oferecem o grande e ainda te oferecem um complemento.

Down-sell é quando o cliente está desistindo de comprar um produto e você oferece um outro produto mais barato no lugar daquele para tentar fechar o negócio.

10 – Mostre uma barra de progresso durante o Checkout

Não só no checkout, mas quando você tem um formulário de vários passos, como mostramos anteriormente. Se você mostra para o usuário que existe uma barra de progresso, você não o deixa perdido no processo achando que nunca vai acabar o cadastro.
amazon

A dica do Mattan é que nunca comece no primeiro, só mostre a barra de progresso depois que ele já saiu do primeiro formulário, você o incentiva a continuar porque ele já fez uma parte.

11 – Coloque um suporte de Bate-Papo durante o Checkout

Pra muitas empresas o processo de compra ou de anúncio no caso de market-places pode não ser muito fácil para alguns usuários. Se você colocar esse tipo de chat, você pode ajudá-los e entender quais partes do processo podem ser melhoradas. Para processos complexos isso é fundamental para que a compra seja efetuada

Existem diversas ferramentas para isso:

Olark

– LivePerson

– Zopim

12 – Teste as 5 maiores opções de compartilhamento

Esse não tem desculpa para não ter. Você precisa colocar opções de compartilhamento em seus produtos. Opções do Twitter, Facebook, Linkedin, Email, Enviar pelo Whatsapp, ou qualquer coisa. Ache aquilo que funciona para o seu negócio

13 – Mande e-mails para engajar seus usuários

Esse exemplo aqui é um bom, de quando alguém se cadastra no Dropbox, mas não instala o programa, o Dropbox manda esse e-mail para estimular o uso.
dropbox

14- Otimize sua Landing Page de Referral

Se seu usuário está chegando ali por indicação de um amigo, use isso a seu favor. Mostrar quem o convidou para a página é obrigatório!
Aproveite para já preencher no formulário as informações que você tiver. Dica: Use Deep Linking nas páginas mobile.

15 – Seja Mobile! 

Com o uso frequente de dispositivos móveis, vale a pena dar atenção para um site mobile-friendly. Qualquer estratégia móvel faz com que seja mais fácil para seus clientes comprarem diretamente de seus smartphones.

– Aplicativos são uma ótima maneira de enriquecer o seu relacionamento com seus clientes. Downloads de aplicativos e transações que acontecem dentro de seus aplicativos são duas importantes fontes de valor do móvel.

– Quando o consumidor fizer o download do aplicativo, ele cria novas oportunidades para as conversões.

– Novas instalações: Faça promoções Mobile App através de pesquisa, display e YouTube.

– Extraia e sugira palavras-chave com base no Google Play e Google Search

– Segmente seu público alvo com base em aplicativos que eles já usam, análise a frequência de uso e histórico de compras

– Medição de conversão: Instalação, reengajamento e compras no App.

Esses são alguns de diversos hacks que podem facilitar a escalada do seu negócio. Teste, implemente e busque alternativas direcionadas para o seu segmento. Ao pensar no seu usuário é importante concentrar-se nas seguintes área:  comportamento x engajamento, ativação x conversão e tenha sempre claro quais são as metas para testes e estabelecer uma lista com os principais resultados. E aí é só esperar o crescimento na receita também :)

Para quem quiser conferir a apresentação completa do Mattan Griffel  (http://goo.gl/qV2Njp )